joice-vancoppenolle

Caro leitor, para nada estragar o prazer de uma degustação, é importante servir os vinhos à temperatura que melhor lhes convém. Um vinho quente demais ou frio demais não pode se exprimir plenamente.

Mas, qual a influência da temperatura sobre o vinho? O calor permite aos componentes aromáticos volatizar-se, o que significa, mais simplesmente, que permite ao buquê agradável do vinho se exprimir. Os aromas variam de um vinho para o outro, os vinhos dão o melhor de si próprios em temperaturas diferentes.A temperatura de serviço de um vinho depende não apenas de sua cor, mas também de seu caráter e da estação, bem como da temperatura do lugar onde será degustado.

assinaturaO balde de gelo é o meio mais rápido e o mais seguro para refrescar um vinho. É essencial acrescentar água ao gelo e emergir a garrafa tanto quanto possível a fim de que todo o vinho fique na temperatura. É preciso esperar de 10 a 15 minutos para passar de 20 •C a 8•C. Um refrigerador leva entre 1h30 e 2h horas para chegar ao mesmo resultado, até mesmo mais quando faz calor.O tempo de refrescamento é um fator importante: se o prazo for muito curto, o conteúdo da garrafa não ficará uniformemente na mesma temperatura, e se for longo demais, o vinho ficará demasiado frio. Do mesmo modo, os aparelhos de arrefecimento nem sempre garantem um refrescamento homogêneo. Em todo caso apreciador, evite colocar a garrafa no congelador, pois a garrafa arrisca quebrar-se em caso de esquecimento. Quando o vinho atingir a temperatura de consumo, basta acrescentar alguns cubos de gelo na água do balde para manter o frescor, sabendo que é preciso evitar qualquer excesso de frio. Os vinhos efervescentes são servidos do mesmo modo.

Uma dica importante leitor, é nunca colocar o vinho perto de uma fonte decalor, como um forno por exemplo, isso pode alterar definitivamente seu gosto. Convém tratar os vinhos tintos com um cuidado muito particular, principalmente as safras antigas e raras, pois elas são mais sensíveis às diferenças de temperatura. Dê-lhes tempo para se reaquecer progressivamente depois que saírem da adega, em um lugar temperado e calmo.

Quanto aos brancos, devem ser servidos mais resfriados que os tintos. O princípio “vinho branco na temperatura do refrigerador e o vinho tinto na temperatura ambiente” é um pouco sumário e não funciona com o clima da nossa região. Esse conceito incita a servir os vinhos brancos frescos demais e os tintos quentes demais. A cada estilo de vinho branco corresponde a uma temperatura diferente, e muitos tintos, senão todos, devem ser servidos alguns graus abaixo da temperatura ambiente.

O vinho sofre infinitamente mais com o calor do que com o frio. Um grande vinho tinto pode perder seu equilíbrio se for servido a 22•C. Como o calor acentua a presença do álcool, os vinhos brancos devem, em geral ser servidos muito frescos para se mostrarem menos vinosos. Quando a garrafa está fresca, a acidez se alia à fruta do vinho e torna-a agradável e refrescante, o que é de se esperar de todo vinho branco. Entretanto, servir frescos demais os grands crusde vinho branco é um erro, pois o que lhes dá interesse, no nariz como na boca, poderá se revelar mais se estiverem menos frescos. Quando o tempo estiver muito quente, como agora, sirva os vinhos um pouco mais frescos do que o habitual , a fim de preceder um aquecimento rápido demais da garrafa. Quando estiver frio, em compensação não refresque demais os vinhos (brancos ou tintos jovens) mesmo se forem degustados frescos.

 

O melhor vinho não é necessariamente o mais caro, mas o que nós compartilhamos.”

George Bassen

Se gostou, compartilhe...Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.