dacio-monteiro

Os termômetros, que colaboram diretamente para mensurações Econômicas/Administrativas/Financeiras, capazes de alcançar variações térmicas, no território brasileiro, neste momento de ebulições permanentes, estão em alerta máximo, pelas razões óbvias, decorrentes de um processo de alternância no poder, conduzido sob climas de agitações e protestos, concluiu suas prerrogativas ideológicas, sustentadas nos primórdios da Constituição Federal e atingiu alvos e metas.

A legitimidade das urnas, transformou a ex-Presidente Dilma, na primeira mulher no país e na história republicana, a exercer a função mais relevante do nível hierárquico político da nação, seja lá de que forma foi, com méritos, em disputa com um candidato oposicionista, cheio de habilidades e preferências coletivas, premiado pelos simpatizantes com mais de cinquenta milhões de votos, muito bem conquistados.

Naturalmente eufóricos, com a renovação do mandato, as pessoas vitoriosas no pleito, permaneceram nos postos, legitimadas pelo sufrágio, porém, com um amontoado de desgastes econômico/financeiro e político, sinalizando choques e conflitos, pelas incompatibilidades gestoras, defluidas do primeiro mandato e da campanha eleitoral agitadíssima, sem controles e limites para gastos e despesas.

O roteiro político, para o segundo mandato, não revelava ambientes de bons amigos, gerando tumultos entre poderes, promovendo rompimentos nas bases de sustentação, levando a nação ao ceticismo incontrolável, afastando viabilidades para consensos, minando áreas influentes de comando, finalizando com abertura do processo de impeachment.

Afastada pela maioria absoluta do congresso nacional, inapelavelmente batida, suaExcia. Presidente Dilma Rousseff, tomou o golpe, apesar das resistências apresentadas com eloquência, pelo representante da AGU, Advocacia Geral da União, os objetivos das medidas coercitivas foram alcançados com sucesso, segregando em preliminar a titular do comando do país.

O fenomenal desafio, imposto pelas circunstâncias ao substituto interino, vão mais além do status da função; recebeu uma terra arrasada, com seus mecanismos de controles sócio/econômico/financeiro desorganizadose bagunçados, padecente de união, consenso e colaboração genérica, focalizada em recuperá-lo.

A operação Lava Jato, cumpre sua brilhante missão de apurar e punir transgressores do ordenamento público, que na seletiva visando aplicação do estado democrático de direito, se depara com revelações de ordem corruptivas imensas, de altas autoridades do país, seduzidas e lambuzadas pelos efeitos devastadores da propina, receptadas indevidamente dos cofres públicos.

Novas explosões detonam no congresso nacional, agora envolvendo ex-presidentes, senadores, titulares de câmara e senado, com graves acusações de terem recebido setenta milhões de reais ilícitos e desviadosem contratos com a Petrobras.

São os mesmos que construíram o processo de impeachment, afastando a Dilma. Teria sido legal e legítimo diante de tanta sujeira? Ou os culpados não podem ser julgados, punidos e presos, a considerar a estatura dos figurões e seus respectivos cargos?

Assim, os acontecimentos que sucedem com as vergonhosas quadrilhas elitizadas do país, responsáveis pela condução e direção das grandes questões nacionais e nós brasileiros trabalhadores e lutadores, produzindo riquezas para marginais de ternos e gravatas, dilapidarem impiedosamente, denunciados pelas próprias pessoas que promoveram a distribuição dos achaques, sempre contestados pelos articuladores das imoralidades.

Cristalinamente se vislumbra, que a Dilma, recebeu a Extrema-Unção, em momento intempestivo, quando os protagonistas deste picadeiro ridículo e deprimente, disfrutam de posições políticas de falsas nobrezas, em detrimento de mais de duzentos milhões de brasileiros peregrinos, quebuscam direitos constitucionais como saúde/educação e são marginalizados, chegando a óbitos em filas de hospitais públicos, destroçados pelas mutretas silenciosas da fidalguia emporcalhada.

Este é sem dúvidas, o verdadeiro TEMERáriodesafiador, para o instante de melancolias que perseguem o povo exaustivamente, no sentido de acreditar na sequência de combate, apurações e prisões aos responsáveis, por esta nova e recente crueldade, revelada e publicada pela imprensa, sobre as ações dos delinquentes que continuam roubando e debochando da população, colaborando para a ruína inimaginável da vida dos brasileiros já ofegantes.

 

Dácio Monteiro

daciomonteiro@yahoo.com.br

Bacharel Pós Graduado Ciências Contábeis

Taperoá-Ba, 06 de Junho 2016.

Se gostou, compartilhe...Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.