O conturbado cenário político que o Brasil tem vivido nos últimos dias, chegou com força ao ENEM. O exame entra no centro do debate diante de mais de mil ocupações de escolas, Universidades e Institutos Federais em todo o País, o que põe em xeque a viabilidade de realização das provas nos dias 5 e 6 de Dezembro.

De um lado, o Movimento Estudantil que protesta contra a PEC 55 (antiga PEC 241 leia mais aqui) e contra a MP 746 241 (leia mais aqui) pede o adiamento do exame para todos os candidatos e do outro lado, o MEC ordena a manutenção da realização exame na data prevista e uma nova data para os candidatos que fariam as provas nas instituições ocupadas, ou seja, adiamento da prova para 191 mil candidatos de 18 estados e do Distrito Federal.

Além dos movimentos contrários ao adiamento parcial das provas do ENEM, o Ministério Público Federal (MPF) do Ceará entrou com uma ação civil pública para suspender o exame deste fim de semana para todos os 8,6 milhões de candidatos por entender que fere o princípio da isonomia (igualdade) do processo seletivo. O MEC acionou a Advocacia Geral da União (AGU) para derrubar a ação na Justiça e se negou a remanejar os 191 mil candidatos para outros espaços escolares, como foi feito no segundo turno nas eleições pelo Tribunal Superior Eleitoral.

Por fim, a juíza federal Elise Frota da 8ª Vara Federal do Ceará decidiu negar o pedido do MPF de suspenção do Exame para todos os candidatos e o ENEM está mantido para 97,78% dos inscritos. Os demais farão as provas nos dias 3 e 4 de Dezembro.

Valença figura entre as 25 cidades baianas que estão com prédios ocupados por estudantes, portanto, na Universidade do Estado da Bahia – Campus XV – Prédios 01 e 02
e no Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia da Bahia – Campus Valença – Blocos F e G haverá o adiamento das provas.

Se gostou, compartilhe...Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.