mustafa-rosemberg

Não sei qual é o tempo, mas estou perdido,

Perdi-me no espaço afoito fiquei confuso,

Abismado fiquei, malogrado e sentido

Às compensações da vida num parafuso.

 

Sinto vou para um lado fico arrependido,

Se para frente me volto pareço fuso,

À noite estou envolto em silêncio mantido,

Na máquina do escuro que também abuso.

 

Parece brincadeira mesmo com proveito,

No entanto não fiquei preocupado, ouviu?

Tão pouco me atrapalha isso de qualquer jeito.

 

Não achei o que devo fazer vou-me embora,

Tomara que malvada inspiração que abriu

Não me tenha em desterro com tanta demora.

Se gostou, compartilhe...Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.