moacir-saraiva

No próximo dia 14, em virtude da comemoração do nascimento do poeta maior do Brasil, o baiano Castro Alves, se comemora o dia nacional da poesia, no nosso país. Em todos os lugares, os amantes da poesia se agrupam, fazem recitais, rendem homenagens a poetas de várias partes deste imenso celeiro de grandes escritores em versos. Em praças públicas, em escolas, universidades, academias, associação de bairros, em clubes, em programas de rádio, em espaços de televisão, em caminhões, barcos, enfim aqueles que gostam deste tipo de composição encontram espaços para declamação e discussão de poemas.

Esta forma de composição é a mais antiga porque é fácil de memorizar e por isso os primeiros escritos são em forma de poemas. Voltaire constata algo que seguramente seja um dos elementos fortes do poema na comunicação, comparando-a com a prosa: “Um mérito inegável da poesia: ela diz mais e em menor número de palavras que a prosa.” E um poeta popular brasileiro diz de uma forma bem simples esta descoberta do francês: “O poeta é um bicho infeliz, consegue dizer com poucas palavras aquilo que ninguém diz.” Além de ser extremamente concisa também reflete o que há de mais intimo no ser humano, desnudando a alma tanto do poeta como também do leitor, pois este ao se deparar com um poema e com ele se identificar traz para si o que o poeta quis dizer e algo a mais contido nas suas emoções, assim, constata de uma forma bela o poeta chileno Pablo Neruda: “A poesia tem comunicação secreta com os sentimentos do homem.”

          Além de sua concisão, como também de a memorização ser mais fácil do que a prosa, de escavacar o que há nas entranhas do ser humano,  a poesia muitas vezes coloca o sentimento de uma forma inversa, pois a maioria dos poetas revela aquilo que falta ao ser humano, conforme diz o poeta português Fernando Pessoa: “Toda a poesia – e a canção é uma poesia ajudada – reflete o que a alma não tem. Por isso a canção dos povos tristes é alegre e a canção dos povos alegres é triste.”

         Algumas reflexões sobre a poesia, mas o importante é que pais e professores incentivem às crianças e aos jovens a lerem, pois a leitura tira o homem da ignorância, abrindo-lhes a cabeça para o mundo presente, para o mundo concreto, os poetas, apesar de sonharem, apesar de muitas vezes escreverem sobre o amor platônico, apesar de alguns serem nefelibatas, são homens e mulheres que estão antenados com o mundo concreto, com suas questões políticas, sociais e por isso, muitos ditadores tentam se livrar dos poetas.

Que nossa região, comemore o dia da poesia. Para concluir segue um texto do maranhense Gonçalves Dias bem adequado à juventude:

 

Não chores, meu filho;
Não chores, que a vida
É luta renhida:
Viver é lutar.
A vida é combate,
Que os fracos abate,
Que os fortes, os bravos
Só pode exaltar.

Se gostou, compartilhe...Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.