moacir-saraiva

Ontem, dia 29/03, a imprensa noticiou mais um desmando de políticos, desmando não, mais um roubo praticado por elementos que deviam estar cuidando do bem público. Além dos políticos foram presos empresários. Isso aconteceu no estado de São Paulo e os infelizes, os miseráveis ladrões tirando dinheiro da merenda escolar, estudantes carentes passando fome por causa destes vermes. Foram presos entre outros o presidente da União dos Vereadores do estado de São Paulo, o ex-presidente da assembléia legislativa daquele estado e empresários, em uma operação denominada Alba Branca.

A operação Lava Jato, há dois anos, está prendendo empresários defenestrando políticos e expondo ao país o que acontece nos bastidores da política e nas negociações com o empresariado. E efetivamente quando se lanceta um tumor não vai sair de dentro dele perfumes, sai sim pus, é lançado para fora supuração, algo que até dá nojo de olhar. É o que está acontecendo no Brasil com as ações de Ministério Público, Polícia Federal, Polícia Civil e outros órgãos envolvidos neste processo.

É bom lembrar aos que têm memória curta ser esta é a primeira vez que  estão sendo investigados e levados para a cadeia corruptos ativos e passivos. Porque se agente público recebe dinheiro, alguém deu.  No processo dos anões só quem pagou o pato foram alguns políticos, ou seja, os passivos, mas quem forneceu dinheiro para eles, estes ficaram imexíveis. Houve outros casos em que até se engavetou, Coroa Brastel, Delfin. No Mensalão, pequenos avanços existiram, o Marcos Valério representou todos os corruptos ativos e alguns corruptos passivos, como José Dirceu, Bispo Rodrigues, José Genoino foram presos por práticas de corrupção passiva e comprovadamente, como em um regime democrático, tiveram direito a defesa, mas não comprovaram a inocência. Na época, alguns adoradores de Genoino e de Dirceu os colocaram como heróis nacionais. Muitos se lembram dos gestos, das manifestações de apoio e até da vaquinha que fizeram para que os “companheiros” pagassem os débitos.

Na operação Lava Jato, pela primeira vez no Brasil, está se prendendo corruptos passivos e os ativos. Quem poderia imaginar que  presidentes de grandes empresas poderiam ser presos? Não só foram presos como  julgados e condenados. Isso é avanço da democracia brasileira. Sendo investigados muitos empresários, muitos agentes públicos e muitos políticos e alguns já condenados.  Senador líder no governo, sendo preso em flagrante e pela primeira vez um ex-presidente da República foi chamado coercitivamente a depor, em outros países isso é comum, aqui no Brasil causou um alvoroço danado pelo fato de se estrear esta prática com Lula.

Isso é avanço das instituições públicas brasileiras. Desde a chegada de Cabral ao Brasil, que há roubalheira. A corrupção não é nova esta prática. Grandes obras deste país foram construídas no regime militar, por exemplo, a usina de Itaipu e muitas destas empresas descobertas agora como corruptas já construíram desde aquela época. Será que a usina de Itapu foi construída sem corruptos, em que empresários, políticos, agentes públicos todos, ao final da tarde, rezavam  o terço juntos como prova de probidade na feitura daquela obra? No regime militar nada poderia ser investigado. Quando ouço vozes dizendo que na ditadura era melhor do que os dias atuais, ou o sujeito não conhece a história ou age de má fé.

Só na democracia se consegue avançar, só na democracia se consegue prender corrupto, só na democracia se consegue tirar um político e colocar outro, tais avanços, não são permitidos em nenhum outro regime, isso mostra que o Brasil está no caminho certo para melhorar nossa vida. Se há político ladrão fomos nós que os colocamos lá através do voto. Voto que é secreto, voto que é livre. Esse fato mostra que cada um de nós deve refletir bastante sobre os critérios que estamos usando para escolher vereador, prefeito, deputado, senador, governador e presidente.

Viva o Brasil!

 

Se gostou, compartilhe...Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.