Responsáveis por encher os corações dos brasileiros de orgulho durante as principais competições aquáticas do país e do mundo, os atletas baianos veem a recém-inaugurada Piscina Olímpica da Bahia como uma forte aliada para aprimorar o rendimento em provas como natação, nado sincronizado e até triatlon.

Ocupando a 7ª posição no ranking mundial, o atleta de paratriathlon Leo Curvelo é um dos esportistas baianos que testaram e aprovaram o mais novo e um dos mais modernos equipamentos do País. Com viagem marcada para a Austrália, onde participa de etapa do Mundial de Paratriathlon, nos dias 23 e 24, Curvelo acredita que teria alcançado um tempo melhor na Travessia Mar Grande-Salvador, no início de janeiro, se tivesse treinado em uma piscina como a inaugurada na última segunda-feira (28), na Avenida Mário Leal Ferreira (Bonocô), em Salvador. “Já nadei em piscinas do Canadá, Estados Unidos, México, Itália, entre outras aqui no Brasil, e [a Piscina Olímpica da Bahia] é a melhor que já nadei. Não deve nada a nenhuma piscina”.

O paratleta acrescenta que não tem encontrado dificuldades para utilizar o equipamento e aguarda a elaboração do cronograma oficial para realizar os treinos regularmente no local. Leo, que é apoiado pelo Programa Estadual de Incentivo ao Esporte Amador Olímpico e Para-olímpico (FazAtleta), também promove a campanha ‘Leo Olímpico’ nas redes sociais para conseguir auxílio nas despesas durante as viagens em que defende títulos para o Brasil. “No meu Instagram [@leolimpico] explica direitinho como faz para adquirir uma camiseta [da campanha]”.

Preparação

Quem também utiliza a piscina é Allan do Carmo. Considerado um dos atletas de natação favoritos para subir ao pódio durante os Jogos Olímpicos 2016, o nadador foi um dos primeiros a conferir o resultado do investimento, realizado pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre). “A gente fica muito feliz, não só pelo equipamento, mas pela qualidade que ele nos oferece. Na semana passada [antes da inauguração oficial], fizemos dois treinos. Nossa meta é realizar quatro treinos, dois dias na semana”, explica.

Piscina do Centro Olímpico de Natação da Bahia  Fotos: Pedro Moraes/GOVBA

Nadadora Verônica Almeida – Foto:Pedro Moraes/GOVBA

A piscina tem dez raias, dimensões oficiais (50x25m), três metros de profundidade e medição eletrônica de Ph. As bordas de transbordamento, bem como as raias sobressalentes, auxiliam na dispersão da água e e evitam a formação de marolas. Representando as mulheres baianas e brasileiras, a paratleta Verônica Almeida se preparava em equipamentos de 25 metros antes da inauguração da Piscina Olímpica da Bahia.

“Fiquei surpresa quando conheci a piscina. Altamente tecnológica, rápida, com condições para receber eventos de nível mundial. Como as competições que participo são em piscinas de 50 metros, treinar em uma piscina com a mesma extensão com certeza vai ajudar e muito. Meu treinador é quem está definindo quantos dias vamos treinar [na Piscina Olímpica da Bahia]”, afirma Verônica.

Nado sincronizado

Acostumados a encantar o público com performances ricas em cores, movimentos e ritmo, os atletas da Seleção Brasileira de Nado Sincronizado se apresentaram, em Salvador, na noite de inauguração da piscina e ficaram encantados com a estrutura. A pedido dos próprios nadadores, o último treino da equipe antes dos Jogos Olímpicos 2016 será feito no equipamento baiano.

Nado sincronizado - Carla Ornelas-GOVBA

Nado sincronizado – Foto:Carla Ornelas-GOVBA

“Essa piscina tem a profundidade ideal para o nado sincronizado. Os atletas não correm o risco de tocar no fundo. Numa prova oficial, quando isso acontece, a equipe perde um ponto. Estaremos aqui em julho durante 15 dias. O equipamento de som também é excelente. Mesmo em baixo da água é possível ouvir a música. Ficamos impressionados”, garante a treinadora da seleção, Maura Xavier.

Antes, durante os finais de semana deste mês, a Federação Baiana de Desportos Aquáticos (Feba) vai realizar diversas competições no local. Neste sábado (2), às 14h, acontece o Troféu Frederico Guilherme Caldas Argolo. Já no dia 16, será a vez do 1º Concurso Master de Natação e, no dia 17, o futuro Centro Olímpico de Natação da Bahia será palco do Troféu Marcio Venícios da Cunha Pina.

Centro Olímpico de Natação

Ao lado da piscina olímpica, foi construída uma piscina de aquecimento (semiolímpica), com seis raias, dimensões de 25 x 12,5m e 1,65m de profundidade. Cerca de R$ 15 milhões já foram investidos nas duas primeiras etapas da obra. Projetos sociais desenvolvidos pela Sudesb e voltados a crianças e jovens em risco de vulnerabilidade social também estão previstos.

De acordo com o arquiteto da Superintendência de Patrimônio da Secretaria da Administração do Estado (Saeb), Andrei Beramendi, na primeira fase da obra foi realizada a preparação do terreno, que incluiu trabalhos como terraplanagem e contenção de encosta. Na segunda etapa foram construídas as piscinas e os corredores técnicos no subsolo, onde são controlados itens como a iluminação subaquática, filtragem e medição eletrônica do Ph.

Ainda segundo Beramendi, as próximas etapas do Centro Olímpico de Natação da Bahia incluem a construção do edifício que irá abrigar as salas administrativas, vestiário, refeitório, academia, posto médico, sala de controle de placar, sala de fisioterapia e, na parte superior do prédio, terá lanchonete, banheiros e a arquibancada, que será coberta. “Também está prevista a ampliação do estacionamento, que passará a ter 72 vagas”.

Se gostou, compartilhe...Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.