Anúncio sobre edital aconteceu nesta sexta-feira, dia 4 de novembro, data do aniversário de 114 anos do fotógrafo

O “Prêmio Nacional de Fotografia Pierre Verger”, um dos maiores concursos para trabalhos fotográficos do Brasil, terá sua sexta edição. O anúncio foi feito pelo secretário de Cultura, Jorge Portugal, na manhã desta sexta-feira, dia 4 de novembro, data em que Pierre Verger completaria 114 anos de nascimento. A homologação do projeto aconteceu no gabinete da SecultBA, na presença de Fernanda Tourinho, diretora geral da Fundação Cultural do Estado da Bahia (Funceb), de Lia Silveira, diretora da Dirart, e de Lydia Sepúlveda, coordenadora de Artes Visuais que executa o prêmio.

SONY DSC

O Pierre Verger outorgará três prêmios, sendo um em cada uma das seguintes categorias: trabalhos de fotografia de livre temática e técnica; trabalhos de inovação e experimentação na área da fotografia; trabalhos de fotografia documental. O valor individual de cada prêmio é de R$ 30.000,00 (trinta mil reais).

O lançamento do edital acontecerá no dia 7 de novembro, segunda-feira, com publicação no DOE. O Prêmio Nacional de Fotografia Pierre Verger é um projeto da Fundação Cultural da Bahia – FUNCEB, de abrangência nacional, voltado para a linguagem de fotografia contemporânea, que tem permitido aos premiados, destaque e reconhecimento dentro da linguagem, o que reforça a importância da sua realização. “O prêmio Pierre Verger homenageia um artista, um antropólogo que não tendo nascido na Bahia, portanto, não tendo os olhos de um baiano, viu a nossa alma cultural como poucos viram, e nos entendeu profundamente como pouquíssimos nos entenderam”, declarou Jorge Portugal.

A premiação que tem o objetivo de incentivar, divulgar e valorizar a produção fotográfica brasileira chega à edição 2016/2017, após a realização das edições em 2003/2004, 2005/2006, 2008/2009, 2010/2011, 2012/2013. O edital é aberto a fotógrafos brasileiros ou estrangeiros com situação de permanência legalizada, residentes em qualquer estado do país, que devem apresentar um projeto ainda não premiado no Brasil nem no exterior. “Ao longo dos anos, o projeto se fortaleceu e potencializou sua perspectiva como propulsor da produção/difusão da fotografia nacional”, disse Fernanda Tourinho.

Exposição e catálogo –  O projeto ganha força nesta edição, porque, além dos três premiados, a Comissão de Seleção indicará 12 artistas que, juntamente com os três premiados, participarão de uma exposição Coletiva e do Catálogo do Prêmio Pierre Verger”, considerou Lydia Sepúlveda. A mostra será realizada na Sala de Arte Contemporânea Mário Cravo Júnior, no Palacete das Artes, em Salvador – Bahia.

Cada um dos 15 participantes (três premiados e 12 indicados a critério da Comissão de Seleção) receberá uma ajuda de custo no valor de R$ 1.000 para despesas com os trabalhos a serem expostos. Como atividade complementar, a Funceb organizará um seminário sobre fotografia contemporânea, com a duração prevista de dois dias, que acontecerá também nas instalações do Palacete das Artes.

Está prevista para o dia da abertura da exposição do Prêmio Pierre Verger, a realização de uma roda de conversa com a presença dos artistas premiados e apresentação do vídeo com o depoimento da comissão de seleção do Prêmio 2016/2017.

O Catálogo do Prêmio Nacional de Fotografia Pierre Verger 2016 / 2017, com tiragem de 1500 exemplares, será composto pelos trabalhos dos três premiados e dos 12 artistas indicados a critério da Comissão de Seleção. Em virtude da característica nacional do prêmio, a comissão de seleção será composta por dois profissionais de fora do estado da Bahia, sendo um do eixo São Paulo/Rio de Janeiro/ Minas Gerais e outro do eixo Norte/Nordeste, e três da Bahia, num total de cinco membros.

Histórico – O Prêmio Nacional de Fotografia Pierre Verger foi criado em 2002 e concede um dos maiores prêmios financeiros para artistas desta linguagem no país. O certame confere premiações a conjuntos de obras de temática e técnica livres. Com a proposta de ser realizado de dois em dois anos, o edital concedia, até a sua 4ª edição, de 2010/2011, prêmio único a um conjunto fotográfico de temática e técnica livres, para o Prêmio no valor de R$ 30 mil somada a apoio financeiro para a realização de uma exposição individual em Salvador e publicação de um catálogo com o ensaio, totalizando um investimento de R$ 60 mil.

Já em sua mais recente edição, do biênio 2012/2013, o Prêmio teve um ganho orçamentário de 100% e passou a ter três categorias, com um total de R$ 120 mil. O prêmio original, em suas mesmas condições, foi transformado na categoria “Livre Temática e Técnica”, e foram criados dois novos prêmios de R$ 30 mil para outras duas modalidades: “Fotografia Documental” e “Trabalhos de Inovação e Experimentação na Área de Fotografia”. Esta conquista foi resultante do diálogo da classe de fotógrafos com a FUNCEB e a SecultBA, que demandou a extensão do prêmio para contemplação de trabalhos diferenciados na área. Nesta ultima edição 2012/2013 o premiado foi o fotógrafo André Penteado de São Paulo, com o projeto “O Suicídio de meu Pai”.

Em sua primeira edição, 2003/2004, com o tema Gente e Costumes da Bahia, a premiação considerou vencedor o fotógrafo Márcio Lima, pernambucano radicado em Salvador/Bahia desde 1989. Na segunda edição, 2005/2006, o artista mineiro Rodrigo Albert foi o vencedor, com as séries Costumes e Ofícios, Gentes e Lugares e Mitos.

Na terceira edição, 2008/2009, a comissão julgadora premiou Leonardo Costa Braga, que realizou a exposição Homogenia, artista brasiliense radicado em Caeté – MG. Na quarta edição, 2010/2011, o edital teve como vencedor Pedro David, natural de Santos Dumont (MG), com o projeto “O Jardim”.

 

Fonte: SecultBA

Se gostou, compartilhe...Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.