carlos-magno

Aliás, de onde vem esta palavra que o povo aprendeu a conversar sobre ela como se estivesse falando sobre o time de futebol do bairro. Pois bem, culta leitora, escolado leitor, impeachment é um termo inglês que quer dizer acusação, obstrução, impedimento, dano, prejuízo material, depreciação; deriva do verbo toimpeach, adaptação do francês empêcher, e este, vem do Latim tardio impedicare (capturar, caçar). Na acepção jurídica, significa acusação, e processo de uma pessoa por traição, outro grande crime ou afronta a um tribunal competente.  Na Inglaterra , nos Estados Unidos a coisa existe.  Na Espanha, o termo corresponde a julgamento político (juicio político), a acepção jurídica corresponde a julgamento político ou acusação pública (acusación pública). O primeiro processo de impeachment que se tem notícia teve lugar no Reino Unido, precisamente na Inglaterra, no qual o protagonista era um tal de William de Latimer, o quarto barão de Latimer, no século XIV. Está tudo na internet. No Brasil a ferramenta já funcionou duas vezes. Collor e agora, Dilma.

Acabou? Por enquanto, sim. Agora voltarão ao assunto do Eduardo Cunha, mas ainda há as eleições municipais. Há a lava jato. Delações. Medos e indignações. Há rangeres de dentes. E há algo que está sendo esquecida: o Brasil.

“ Brasil, vou cantar-te nos meus versos.” Ari Barroso, eterno.

Se gostou, compartilhe...Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.