moacir-saraiva

O Dia Internacional do Idoso é comemorado anualmente no dia 1° de Outubro. Este dia foi instituído em 1991 pela (ONU) Organização das Nações Unidas e tem como objetivo sensibilizar a sociedade para as questões do envelhecimento e a necessidade de proteger e cuidar a população mais idosa.

No Brasil, até o ano de 2006, esta data era celebrada no dia 27 de setembro, porém, em razão da criação do estatuto do idoso em 1º de outubro, o dia do idoso foi transferido para esta data de acordo com a lei número 11.433, de 28 de dezembro de 2006.

Por que esta preocupação com o idoso? Em virtude de a população estar ficando cada vez mais velha, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), por volta de 2025, pela primeira vez na história, haverá mais idosos do que crianças no planeta.

Com relação aos aspectos legais, no Brasil, o idoso é bem assistido, ou seja, as leis de proteção a pessoas dessa faixa etária lhes dão um amparo ideal. Entretanto, há uma distância abissal entre o que está escrito e a realidade na qual vivem os brasileiros que atingiram a terceira idade. Se se observar, há quatro pontos básicos que a sociedade e a família ou negligenciam, ou propositadamente maltratam o idoso: O bem estar, não são poucos os idosos que vivem na penúria, quanto mais pobre mais sofre, há alguns com condições econômicas favoráveis,  cujos maus-tratos vêm ou de cuidadores, ou ainda de familiares; Finanças, é um aspecto também que muitos, ao fim da vida, são empobrecidos mais ainda por familiares, quantos aposentados estão enfrentando dificuldades, não pela ausência do estado, mas pela maldade de familiares, no concernente a empréstimos desnecessários para o idoso e também a extorsão a que são submetidos; Saúde e Lazer constituem-se em outros dois itens em que há negligência tanto da família como também do estado e assim o idoso adoece muito mais rápido. Não há programas públicos nos bairros cujo objetivo seja beneficiar a saúde do idoso e colocá-lo em atividades prazerosas.

São quatro itens básicos, dentre outros cujo objetivo é assegurar qualidade de vida aos idosos, que a sociedade deveria mergulhar profundamente a fim de que tais itens fossem assegurados a estes que já contribuíram para a construção de uma família, que colaboraram no crescimento do país com sua mão de obra e que, agora, tanto o país como os familiares deveriam retribuir o que o cidadão ou a cidadã, ao longo de sessenta anos, construiu.

Sabe que é necessário que o próprio sujeito busque viver bem, busque alternativas para ter uma vida saudável na sociedade, é bom que o idoso, enquanto tiver tino, não delegue a filhos, a netos, sobrinhos as ações que ele pode fazer, é bom que o idoso seja, enquanto puder, o protagonista de sua história. Além disso, é recomendável que ele não seja ranzinza, não se ache o dono da verdade, saiba ouvir e, acima de tudo, viva com alegria.

Por fim, o maior sonho de consumo de idoso é receber atenção, portanto, filhos, netos, amigos, dediquem tempo para conversar com os idosos de dentro de casa e da comunidade, tratem-nos com dignidade, com amor, com respeito.

 

 

Se gostou, compartilhe...Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.