Ação faz parte da campanha Outubro Rosa realizada pelo Governo do Estado, por meio da Sesab, em parceria com os municípios

A unidade móvel da Campanha Outubro Rosa, realizada pelo Governo do Estado, através da Secretária da Saúde (Sesab), começou suas atividades em Valença nesta segunda-feira (02). O mutirão de mamografia para rastreamento de câncer de mama em mulheres entre 50 e 69 anos, acontece na Praça da República, e conta com o apoio da Prefeitura de Valença. A ação acontece de 02 a 19 de outubro, de segunda a sábado, das 07h às 18h.

Procedimento dura em média três minutos

Para fazer os exames de rastreamento do câncer de mama, que dura em média três minutos, não é necessária a solicitação médica. A campanha atende gratuitamente mulheres de 50 a 69 anos, que precisam comparecer ao local do exame com identidade, CPF, comprovante de residência e cartão do Sistema Único de Saúde (SUS). Caso alguma alteração seja verificada na mamografia, elas serão encaminhadas para exames complementares em unidades de referência e, quando necessário, iniciam o tratamento o quanto antes. O resultado do exame fica pronto em 30 a 40 dias.

De acordo com o coordenador de campo da Sesab, Cristiano Silva Ney Prado, a meta do Governo do Estado é realizar cerca de 3.200 mamografias em Valença. Em todo o Estado, a meta é realizar 20 mil mamografias no mês, ultrapassando assim a marca de 500 mil exames desde janeiro de 2015. “Com isso buscamos oportunizar as mulheres baianas, a realização do exame e o diagnóstico precoce. Sabemos que muitas mulheres têm dificuldades de fazer o exame em suas cidades e não se deslocam à capital em busca do serviço, então o caminhão móvel é uma forma de melhor a saúde desse público”, declarou o coordenador.

Edinete de Jesus realiza o exame desde os 40 anos

A autônoma Edinete de Jesus Santos, 57 anos, realiza o exame anualmente desde os seus 40 anos de idade. “Eu achei muito boa essa campanha porque muitas mulheres não tem plano de saúde, nem condições de realizar esse exame. Os índices de câncer de mama são altíssimos, então esse rastreamento é muito válido, e o atendimento foi muito bom, todos muito atenciosos”, comentou Edinete, moradora de Valença.

Secretária Jeanine Fonseca e equipe de triagem

A secretária de Saúde de Valença, Jeanine Fonseca disse que além das mamografias, durante os 15 dias da campanha, acontecerão palestras educativas, aferição de pressão e glicemia capilar, fisioterapia, sorteio de brindes e a presença de parceiros com seus stands ao lado da unidade móvel. Está prevista uma grande palestra com um oncologista especialista em câncer de nana no último dia de rastreamento. Janine informou que o exame pode ser marcado nas unidades de saúde nos bairros. “Não precisa vir aqui marcar, podem procurar a enfermeira da unidade de saúde mais próxima e sua casa que ela vai fazer a triagem e marcar o exame”. Quem desejar pode marcar a mamografia diretamente na Praça, portando os documentos necessários. “É muito importante que as mulheres compareçam para realizar esse exame porque o câncer de mama quanto antes for descoberto, maior é sua chance de cura”, alertou a secretária.

 

Dados do Instituto Nacional do Câncer (Inca) apontam que na Bahia 12.900 novos casos de câncer vão acometer as mulheres em 2017, sendo 2.760 de mama. Quando detectado em fase inicial, a doença pode alcançar até 95% de cura.

 

Fatores de risco

 

O câncer de mama não tem uma causa única. Diversos fatores estão relacionados ao aumento do risco de desenvolver a doença, tais como – idade, fatores endócrinos, história reprodutiva, fatores comportamentais e ambientais, bem como fatores genéticos.

 

A idade, assim como em vários outros tipos de câncer, é um dos principais fatores que aumentam o risco de se desenvolver câncer de mama. O acúmulo de exposições ao longo da vida e as próprias alterações biológicas com o envelhecimento aumentam o risco. Relativamente raro antes dos 35 anos, acima desta idade sua incidência cresce progressivamente, especialmente após os 50 anos. Manter o peso corporal adequado, praticar atividade física e evitar o consumo de bebidas alcoólicas ajudam a reduzir o risco de câncer de mama. A amamentação também é considerada um fator protetor.

 

 

 

Se gostou, compartilhe...Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.