Joice Vancoppenolle-Vinho e Cultura

Dando sequência ao texto anterior, vejamos a seguir alguns casamentos bem sucedidos entre pratos e vinhos. Lembrando que estas propostas só apresentam um caráter indicativo, pois não há regras em matéria de combinação, pois o gosto e a cultura de cada um influenciam fortemente na apreciação dos sabores.

 

Melão: vinhos doces naturais, vinho do Porto e Madeira.

Torta de cebola: Torrentés argentino

Suflê de peixe: Chablis ou Chardonnay do Chile

Caviar: Champagne blanc des blancs ou vodka gelada

Ovos mexidos: Rosé d’Anjou/ rosé Casal Mendes

Casquinha de Vieira: Riesling alemão ou Châteauneuf-du-Pape blanc

Salame: Barbera ou Chianti

Beringela recheada: Tinto português

Rocambole Salgado: Beaujolais

joiceFois Gras: Pinot Gris d’Alsace

Aspargos verdes: Xerez ou Muscat seco

Chorizo apimentado: Cahors, Rioja

Salmão defumado: Riesling d’Alsace

Caranguejo: Sauvignon Blanc chileno

Ostras: Vinho amarelo do Jura ou espumante Blanc des Blancs brut

Bacalhau a americana: Pinot Noir ou Vinho Verde

Mexilhões com fritas: Chablis ou Vinho Verde

Sushi: Chardonnay da Nova Zelândia

Terrine de peixe: Graves Branco ou Sancerre

Carré de cordeiro: Cabernet Sauvignon chileno ou californiano

Carneiro ao curry: Bordeaux ou Pomerol

Peixe grelhado: Frascati Superiore

Sardinhas: Chardonnay nacional

Fritura em gera : Vinho verde

Canapés a base de massa folhada: Pinotage da Nova Zelândia

Peixe frito: Pinot Gris, Beaujolais ou Sauvignon Blanc

Peixe de água doce: Chardonnay

Pescada à maionese: Sylvaner d’Alsace

Churrasco: Cabernet Franc nacional

Lombinho canadense: Rosé seco (Rosé de Tavel)

Steak au poivre: Côtes-du –Rhônes, Zinfandel californiano ou Shiraz da Austrália

Steak tartare: Cahors, Merlot chileno ou Pinotage Sul-africano

Tortilha mexicana: Malbec rosé do Chile

Carpaccio: Chianti clássico

Lombo bovino: Vinhos tintos potentes como: Saint-Émilion, Médoc, Shiraz australiano e Malbec argentino

Couscous Marroquino: Graves, Merlots australianos, californianos e chilenos.

Chucrute: Riesling alemão

Paleta de porco: Bordeaux Branco

Leitão à bairrada: Tinto português (Esporão)

Ossobuco: Barbaresco ou Valpolicella

Pato com laranja: Chenin Blanc

Confit de pato: Todos os tintos potentes

Coq au Vin: Pinot Noir de Bourgogne

Frango Xadrez: Pinot Noir

Coelho a caçadora: Rosé Mouton Cadet ou Pinot Noir

Legumes crus: Vinhos brancos secos ou tintos leves

Risoto de frango ou camarão: vinhos brancos frutados italianos ou espanhóis

Berinjela: Tintos gregos

Massas com frutos do mar: Brancos secos italianos

Massas com tomate e manjericão: Vinhos rosés e tintos leves

Sobremesas: Vinhos doces naturais

Sobremesas à base de chocolate: Todos os tintos

 

*Publicado na edição impressa nº 604, do jornal Valença Agora

Se gostou, compartilhe...Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.